Estou em um relacionamento abusivo. De novo.

Relato enviado por uma das nossas leitoras.   Oi, eu sou a J.L.P., tenho 21 anos e eu estou entrando de novo em um relacionamento abusivo. Sim “entrando” e “de novo”. Provavelmente será o meu terceiro, provavelmente eu vou ser submissa, vou aceitar acusações e xingamentos, vou ficar calada por medo de perder, vou ser chantageada, ignorada, vou tentar explicar […]

24/05/2017 - Por Projetos

Encontre a Mulher

Para quem não sabe, nós, administradoras do NAQ, somos formadas em publicidade. É uma área complicada por diversos motivos, e um deles é, sem dúvida, o sexismo que assola a profissão. Atualmente, mulheres representam apenas 20% do departamento criativo de agências, e geralmente são pagas menos de 70% do que os homens recebem (menos de 40% se for uma mulher negra). […]

É assim mesmo, depois melhora

Relato enviado por uma das nossas leitoras. AVISO: contém cenas destalhadas de estupro. Bem, não sei direito como começar, mas posso começar dizendo que o caso do estupro coletivo da menina de 16 anos no Rio de Janeiro lembrou bastante o meu. Me abalou bastante, pois os comentários que eu li no Facebook, foram os mesmos que eu ouvi, até […]

22/05/2017 - Por Projetos

Mapa do Acolhimento

De acordo com a Secretaria de Políticas para as Mulheres da Presidência da República (SPM-PR), no Brasil, a cada 7 minutos ocorre 1 denúncia de violência sexual contra a mulher, sendo que cerca de 60% dos relatos referem-se à violência contra mulheres negras. Também é importante ressaltar que a minoria dos casos são denunciados. Segundo os dados do Instituto de […]

Quando a delegacia não ajuda

Texto enviado por uma das nossas leitoras. Há algumas semanas eu estava indo para a universidade e no caminho entre o ponto de ônibus e a minha casa um cara me abordou. Ele foi muito educado, conversamos um pouco e dei meu número para continuarmos conversando. Assim que eu entrei no ônibus ele me mandou uma mensagem no whatsapp pedindo […]

As “pequenas” coisas

Relato de uma seguidora da página que preferiu não de identificar. Moro há quatro anos em uma rua de um bairro afastado e que tem uma distribuidora de bebidas (usada como “boteco” para os “atoas” passarem o tempo) na esquina. Todos os dias eu passo na porta da distribuidora para sair. Ir trabalhar, ir ao mercado, padaria, etc. Como sempre, […]