28/07/2015 - Por Mulheres+ Reflexões

Para garotas adolescentes com ambições ferozes e corações trêmulos

Quando Anne Frank tinha 13 anos,
ela desapareceu atrás de uma estante
com sua família e tudo que era perseguido,
escrevendo um oceano dentro de um diário quando eles a encontraram.
Ela foi tratada como
nada mais do que uma faísca no topo de um bosque em chamas.
Apesar disso, ela disse,
“Apesar de tudo eu ainda creio na bondade humana”.

E quando Joana d’Arc tinha 14 anos,
ela ouviu uma voz chamando-o para grandeza,
e quando os que duvidavam a chamaram de louca,
ela não ouviu.
Ela pegou sua espada e seu escudo
e suas duas boas mãos.
Ela foi a donzela do patriotismo indomado
nascida para reunir um país como um coração partido.

Malala tinha 15
quando um homem subiu no seu ônibus escolar
e insistiu que suas irmãs a nomeassem como inimiga.
Quando ela se recusou a se esconder,
ela levou três tiros sobre o rosto.
3 anos depois, em um oceano de sobrevivência e nenhuma desculpa,
ela se levantou ante as nações unidas
e contou a eles como seu país estava queimando.

Quando Mary Shelley tinha 16,
ela inventou ficção científica.
A história de um homem chamado Frankenstein
e seu criador. Ela logo descobriu
que pequenas garotas com grandes ideias são muito mais assustadoras do que monstros.
Está bem, ela foi lembrada muito depois
deles abaixaram suas tochas.

Jackie Mitchell tinha 17 anos
quando ela ultrapassou Babe Ruth e Lou Gerig,
um atrás do outro.
Homens adultos tinham tanto medo
do relâmpago na ponta de seus dedos,
que dois dias depois, todas as mulheres foram expulsas
da liga principal porque
“mulheres são delicadas demais para jogar baseball”.

Sacagawea tinha 18 anos com um bebê em suas costas
conduzindo Lewis e Clarke através da América do Norte.

Cleopatra, 18,
quando se tornou rainha do Nilo.

Nelly Bly, 18 anos,
trazendo justiça ao jornalismo.

E você agora chega aos 18 anos, a frente de um precipício,
tremendo em frente a sua própria grandeza.
Essa, essa é a sua chamada para pular.
Sempre haverá aqueles que dizem que você é jovem demais
ou delicada demais para fazer qualquer coisa de si mesma,
mas eles não veem a parte de você que queima.
Não deixe as dúvidas deles afogarem
o som do seu próprio coração.

Você é a primeira gota de chuva em um furacão,
sua bravura constrói para além de você, você é necessária
para todas as pequenas meninas ainda vivendo em segredo,
escrevendo oceanos de monstros e
atirando bolas como relâmpago.

Você não precisa crescer para encontrar grandeza,
você é muito mais forte
do que o mundo disse que você poderia ser.
O mundo está esperando por você para trazer fogo.
Confie em si mesma e queime.

– Poema original de Clementine von Radics.

Tags:, ,

Comentários