04/04/2016 - Por Mulheres+

Zaha Hadid e a Mulher na Arquitetura

Estou meio atrasada nisso, mas esses dias, essa menina que eu sigo no Youtube postou sobre essa incrível mulher, Zaha Hadid, arquiteta, que morreu semana passada (dia 31 de março). Iraquiana, foi a única mulher na história a obter o prêmio Pritzker de arquitetura e me conquistou porque nunca deixava de discutir a questão do gênero na arquitetura. Aqui abaixo, coloquei 8 frases sobre o assunto que o El País tinha separado (leia o original aqui).

“É um setor muito duro, dominado por homens, não só nos escritórios de arquitetura, mas também entre incorporadoras e construtores. Não se pode culpar só os homens. O problema reside na continuidade. A sociedade não está concebida para permitir às mulheres que voltem normalmente ao trabalho depois de terem tirado uma licença.”

The Observer, fevereiro de 2013.

“Sempre disseram às mulheres: ‘Você não vai conseguir’, ‘É muito complicado’, ‘Você não pode fazer isso’, ‘Nem tente, porque não vai ganhar esse concurso’. Por isso elas precisam de autoconfiança, e pessoas próximas que as ajudem a continuar.”

The Telegraph, abril de 2013.

“Continuariam me chamando de diva se eu fosse um homem? Se você é homem, é visto como alguém duro e ambicioso, mas é mal visto quando uma mulher é ambiciosa. Acredito que as coisas mudaram nos últimos 20 anos. Estão melhores, mas continua havendo preconceito.”

CNN, agosto de 2014.

“Continua sendo muito complicado para as mulheres agirem como profissionais, porque continua havendo mundos aos quais elas não têm acesso. Não importa o que você faça, não vai conseguir entrar neles, pelo simples fato de ser mulher.”

The Guardian, novembro de 2012.

“É realmente vergonhoso que se compare o estádio de Al Wakrah a uma vagina. É um absurdo. Do que estão falando? Qualquer coisa com um buraco é uma vagina? É ridículo. Se um cara tivesse assinado este projeto, não teriam surgido comparações desse tipo.”

TIME, novembro de 2013.

“Sim, sou feminista porque acho todas as mulheres inteligentes, talentosas e duras. Acredito na habilidade feminina; e no poder e na independência femininas. Antes eu não gostava que me chamassem de arquiteta mulher. O importante é que sou arquiteta, o fato de ser mulher é uma informação secundária. Mas talvez isso tenha ajudado outras mulheres, inspirando-as a escolher uma profissão e fazer algo a respeito, especialmente em um campo considerado não apto para mulheres.”

Intervew Rússia, outubro de 2012.

“Muitas mulheres atuais são obrigadas a trabalhar e fazer tudo em casa. Ninguém pode fazer tudo. A sociedade precisa encontrar o modo de aliviar seu duplo esforço. Pode ser que agora seja um pouco mais simples, com as novas tecnologias, que uma mulher possa tirar seis meses ou um ano antes de voltar ao trabalho.”

The Guardian, fevereiro de 2013.

“O que eu precisei pagar mais caro? O fato de ser mulher, imigrante, querer ser pioneira, ser rica, tudo isso. A combinação entre uma mulher imigrante, árabe, autossuficiente e que fazia coisas esquisitas não me facilitou em nada as coisas.”

EL PAÍS SEMANAL, janeiro de 2008.

Tags:,

Comentários