Ah, por quê?

Segue relato anônimo de uma seguidora do site. Avisos para relato de abuso e assédio. 


 

Eu tinha 15 anos em 2007 e era uma adolescente um pouco rebelde, bebia, fumava cigarros, mentia para a minha mãe. Coisas que todos nós já fizemos com essa idade, ainda mais tendo uma família um tanto complicada, com históricos de depressão e ansiedade.

Como uma menina normal de 15 anos eu ficava com vários meninos. Mas sexo não me interessava, realmente. Não sentia vontade de transar.

Conheci um menino da minha idade que era bem popular no bairro, daqueles tipos que todo mundo sabe que é problema. Comecei a ficar com o menino.

Eu tive um namorado nesse mesmo ano, coisa bem boba, beijos e algumas mãos passando pelo corpo. Achei que com esse iria ser do mesmo jeito. Um dia em uma festa na casa dele, fomos para o quarto. Eu não queria transar. Mas ele foi tirando a roupa e tirando a minha e eu fui deixando sem saber como dizer que estava desconfortável. Não sei, acho que essa história de “perder a virgindade” já era uma pressão entre os meus amigos sabe. As crianças estão sendo sexualizadas cada vez mais cedo.

Eu lia muito sobre sexo, conversava com as minhas amigas…achava que iria saber o que fazer e que seria bom. Eu só sei que ele fez tudo sozinho. Eu disse alguns não meio tímidos mas ele só dizia: ah por quê? Sinceramente, eu não senti nada. Nem dor, nem prazer, nem sei aonde ele me penetrou. Pode ter sido em qualquer lugar que eu não senti.

Depois eu ainda menti pra ele dizendo que tinha gostado. Tinha medo dele, e todos os meus amigos estavam na festa e souberam que a “fulana deu para o fulano” “foi pro saco”.

Dava pra ver na minha cara, no meu jeito que eu estava desconfortável. Eu só tinha 15 anos e eu sempre fui romantica. Gostaria de ter transado com um namorado, com eu te amos e etc. Mas transei pela primeira vez com um cara que me levou pro quarto dele na casa dele, com meus amigos e a mãe dele sabendo o que estava acontecendo. O pior foi a mãe dele batendo na porta e dizendo:

– Fulano isso aqui não é motel.

Me senti um lixo.

Sempre achei que a culpa era minha e até hoje não sei dizer se isso foi abuso ou não. Eu não lutei contra.

Ainda tenho problemas com isso, não consigo lutar, dizer não. Muitas vezes beijei sem vontade. E dia desses, um cara tentou me beijar sem eu ter demonstrado a menor vontade. Consegui dizer não mas isso foi depois de ele mesmo desistir. Será que eu teria conseguido lutar? Mesmo sendo só um beijo, me sinto com nojo desses caras que não tem a menor sensibilidade e não conseguem perceber se eu estou a fim ou não.

Tags:,

Comentários