O príncipe que virou sapo

Relato enviado por uma de nossas leitoras. Para enviar o seu, envie um e-mail para contato@naoaguentoquando.com.br


Há 6 meses eu conheci meu ex namorado , em um app de paquera. Ele não me deu muita bola no começo, mas um amigo em comum nos aproximou e então saímos pela primeira vez e não nos desgrudamos mais. Em 1 mês estávamos namorando, ele parecia um príncipe, carinhoso, sensível, apaixonado… as coisas foram muito rápidas e intensas e eu finalmente senti que tinha encontrado o homem da minha vida, #sqn.

Com cerca de 2 meses que estávamos juntos fomos em um show e ele teve uma crise de ciúmes porque achou que demorei para ir ao banheiro, falou que não era idiota , quis me deixar lá, mas como ele tinha bebido, achei que estava só com ciúme bobo por isso e deixei pra lá… Com 3 meses de namoro fomos morar juntos , porque ele disse que o amigo que morava com ele iria se mudar, então chamei ele pra morar comigo e ele veio para minha casa… estava tudo tão bom que achei que não tinha porque esperar. Fiz tudo para que ele se sentisse em casa, arrumei tudo dele com todo carinho e pra mim tudo estava sendo um sonho. E aí foi que sutilmente ele começou a me podar… primeiro a cor da minha unha não era de mulher que namorava, tinha que ser esmalte claro, a roupa decotada que antes ele gostava, já não podia usar mais, uma pessoa que estava no meu Instagram que ele achava que era algum ex meu, eu tinha que tirar, e assim foi…

No começo você não percebe, você acha que ele te ama demais e faz isso porque te quer só pra ele, e ao mesmo tempo que ele fazia isso, me enchia de amor e carinho, mensagens , declarações de amor, chegamos a planejar nosso casamento, vimos data e tudo, então você pensa que vale o sacrifício. Só que as coisas foram ficando cada vez piores… primeiro veio a proibição de sair com uma amiga, ou de ir a um happy hour com as meninas do trabalho, pois todas eram putas e não prestavam, depois começou a desconfiança. Tudo que eu fazia era motivo de dúvida, tinha que dar mil explicações, se não podia atender o telefone era porque eu estava fazendo algo errado, se não respondia a mensagem era porque estava com outro. Não adiantava argumentar porque a resposta que eu ouvia era: eu não faço isso com você, então não pode fazer isso comigo. E eu não entendia nada daquilo porque eu não estava fazendo nada, pelo contrário, fazia de tudo por ele, dava o meu melhor.

Com o tempo , as brigas ficaram cada vez mais constantes e eu me vi deixando de fazer tudo pra evitar que elas acontecessem. Não postava mais fotos, não saia mais para lugar nenhum, não usava mais roupa curta nem decote e pior, não contava mais nada da minha vida pra ele, pois se contava, era mal interpretado e virava outra briga.

Comecei a me ver como uma pessoa apagada, coisa que nunca fui, mas não parou por aí… as brigas começaram a ficar piores e constantes, com cenas de barraco, violência verbal e gritos… tudo era motivo, se um homem falava comigo, era porque dei trela, se eu conseguia uma conta no trabalho era porque eu tinha dado em cima do cliente provavelmente, fui chamada de puta, vagabunda, piranha, sem nunca ter olhado pro lado. Exatamente tudo que acontecia era culpa minha, pois eu que o deixava daquele jeito. Quando ele acalmava, coisa que durava 2 dias geralmente, ele pedia desculpas e dizia que ele agia assim porque eu fazia ele se sentir muito inseguro, que ele não me dava motivos pra eu me sentir insegura, mas eu sim , mas que ele sabia que eu não era nada daquilo, que era só na hora do nervoso e que eu deveria deixar pra lá, pois o que importava era que ele me amava e que por mais que me xingasse, isso não era nada demais.

Cheguei a me questionar se eu realmente estava tendo atitudes pra deixar ele assim, mas eu achava que não porque sempre fui fiel e fiz questão de mostrar isso, e eu tentava mostrar isso pra ele, claro que em vão… Não , não é fácil admitir que nos enganamos, no meu caso foi um pouco diferente e mais difícil pois ele vivia pra mim, me exaltava, dizia que nunca tinha amado alguém como  me amou e que tinha muito medo de me perder, por isso agia daquele jeito… só que eu comecei a perder o encanto por ele pois percebi que ele era inseguro e não torcia por mim, quando eu contava uma coisa boa do meu trabalho ou me arrumava, ele tinha ciúme ao invés de ficar feliz e brigava comigo na maioria das vezes. Chegou a brigar por coisas do passado, por pessoas que existiram muito antes dele… ele me dizia que tinha sido traído pela ex e que não conseguia confiar. Tentei conversar muitas vezes, ofereci ajuda, cheguei a ir em uma psicóloga, mas quando a pessoa não vê que está errada fica difícil, ele se vitimizava.

A gota d’ água foi quando fui a uma entrevista de emprego e ele me infernizou do começo ao fim, dizendo que eu estava  mentindo, que estava com outro, que não atendi o telefone porque estava fazendo coisa errada, nesse dia eu senti que não dava mais pois estava buscando melhorar profissionalmente por nós dois e ele não confiava em mim, fui tão ofendida que desliguei o telefone e fui dormir, certa de que não queria mais, e quando liguei o telefone no dia seguinte foi pior… fui xingada, humilhada, ele estava descontrolado, fora de si, dizia que eu tinha passado a noite com outro, sendo que eu tinha ido dormir chorando de tanta tristeza… no fundo eu não queria aceitar que o cara que eu tinha imaginado não era quem eu achava, não queria admitir que me enganei, olhava pra traz e pensava em tudo que fiz e chorava, estava me tornando uma pessoa cada vez mais triste…  Naquele dia fiz as malas dele e quando ele chegou do trabalho e viu, começou a chorar muito e pedir desculpa, disse que mudaria, que iria se cuidar e ir na terapia, eu estava sem esperança, mas amava ele e queria tentar ajuda-lo, marquei a terapeuta e passamos um dia gostoso, com promessas de que tudo seria diferente. Até o dia seguinte, um dia depois, apenas 1 dia, aconteceu o pior.

Ele começou a pedir a senha do meu celular pois dizia que eu estava com contatinhos e quando eu disse que não ia dar, ele quebrou meu celular e me agrediu, foi dentro do carro que isso aconteceu, ele estava fora de si, me deu um soco e jogou uma lata de cerveja em mim, gritei pra ele sair do meu carro e uma mulher na rua começou a gritar e ele saiu, dirigi correndo até minha casa e proibi a entrada dele… fiquei apavorada, achando que ele viria atrás de mim… mandei a foto do meu rosto pra ele e ele disse ainda por cima que não foi ele e começou a virar o jogo contra mim e dizer que iria matar meu amante e que me viu com outro… não sei até hoje se tudo era delírio da cabeça dele ou manipulação para justificar os seus atos.

Isso faz 1 semana que aconteceu e pedi que ele viesse buscar as coisas dele na minha casa, mas ele não veio, ainda tive que ouvir que eu destruí a vida dele. Não consigo entender até agora como ele pode ter jogado fora todo amor que eu dei por nada, sem motivo algum, leio as histórias das outras pessoas e estou entendendo que não é racional, que não adianta tentarmos entender.

Descobri na internet que a ex que ele disse que traia ele, o denunciou por comportamento violento, então não sei de mais nada.. espero que a minha história alerte outras meninas a verem bem, a não se entregarem tão fácil, pois as vezes podemos estar dando nossas vidas para alguém que vai acabar com ela… Ainda estou triste e me pego pensando nos bons momentos, mas estou certa de que não mereço isso e de que só vale a pena ter alguém se ele te fizer bem, te fizer sentir especial e feliz! Graças a Deus sou madura e sai dessa logo, mas fico chocada como as pessoas ficam anos nessa situação! Mulheres, não permitam isso, vocês não precisam! Não podemos deixar que esses machistas doentes nos usem para alimentar suas loucuras. Não mais.

Tags:, ,

Comentários