Três anos, duas cidades

Segue relato abaixo de uma seguidora da página, aviso para descrições de um relacionamento abusivo, assédio moral e físico. Tivemos um problema no nosso email esses dias e não conseguimos responder a seguidora, então se esse é seu relato e deseja que coloquemos o seu nome, é só entrar em contato conosco, o email já foi consertado.


Boa noite, eu só queria poder desabafar sobre o relacionamento que eu tive, e que este relato pudesse ajudar outras pessoas e agregar coisas a todas vocês. Espero que não se importem e me permitam contar isso.

Eu conheci um rapaz há três anos, e ele manipulou muito minha cabeça, para ter sempre o que queria, sempre manipulando as versões dos fatos para ele se sentir tranquilo do que estava fazendo e me fazer me sentir culpada de uma forma totalmente punitiva.

Nós moramos em cidades diferentes e eu não queria ter um relacionamento a distância, porque eu sabia que se eu me apaixonasse, eu ia sofrer, e eu disse não quando ele me propôs isso porque morávamos longe e que isso ia me fazer sofrer. E depois disso ele ficou com rancor e começou a falar de um modo que eu me senti culpada por ter dito não, e uns meses depois, a gente ainda estava saindo e eu perguntei se era melhor a gente tentar planejar um modo de ficar junto para podermos namorar, e ele disse que não porque a culpa era minha por ter dito não para ele e que ele nunca ia me perdoar por isso.

Então ele desmanchou tudo comigo e foi para o Japão um tempo depois. E a gente ficou sem se falar por um bom tempo, eu estava tentando refazer minha vida e esquecê-lo, mas ele começou a me mandar mensagens dizendo que estava sentindo minha falta e ao mesmo tempo falando que estava transando com várias outras garotas. Porque ele se diz uma pessoa sincera e ele conta tudo sem filtro algum e sem se importar se aquilo vai me ferir, ele está nem aí.

Finalmente ele voltou para o Brasil e pediu para voltar comigo, mesmo eu estando muito triste eu perdoei ele, porque eu me via dependente dele, e ele me fazia crer que o que ele estava fazendo era certo, já que ele nunca assumiu um relacionamento comigo, então ele poderia pegar qualquer pessoa e me dizer que estava pegando, e se eu ficasse chateada eu que era a louca e imatura.

Isso era algo que ele fazia constantemente – sempre que eu ficava sensível e demonstrava sentimentos era porque eu era fraca, era sinal de imaturidade e fraqueza. Sentimentos e chorar são coisas de pessoas fracas, ele dizia. E isso me fazia achar sempre que existia alguma coisa errada.

Quando eu o conheci ele ficou com medo dos amigos o vêem andando comigo no bairro da Liberdade, eu não podia segurar na mão dele, ele nunca quis tirar uma foto comigo, ele nunca quis colocar ‘em um relacionamento sério’ no Facebook dele, mesmo quando ele me pediu em namoro ele disse que não ia fazer isso porque ele não queria expor o relacionamento porque ele não gostava dessa exposição.

A última vez que nós tivemos relações sexuais ele apertou o meu pescoço, e eu briguei com ele, porque isso era uma agressão, e aí ele que brigou comigo dizendo que isso era apenas um fetiche, que vários homens tem isso, que eu estava exagerando, que ele nunca bateu em mim, que eu era uma exagerada porque ele não ia me matar, nem me machucar fazendo isso. E começou a me acusar porque uma vez eu mordi o pescoço dele, se eu o acusasse de agressão ele poderia me acusar também, como se morder o pescoço fosse a mesma coisa que apertar com as mãos o pescoço de alguém, e eu sou muito menor que ele, nem se eu desse a maior mordida do mundo eu o colocaria em risco de vida, mas se ele me apertasse com força ele teria sim me colocado em risco de vida.

De uns tempos para cá eu estava na faculdade, tive uns problemas, sai da faculdade, me mudei de cidade, mas não para a cidade dele, para o interior do meu estado, onde eu arrumei um emprego e estava tentando me estruturar financeiramente. E nisso ele ficou me pressionando para eu me mudar de vez para São Paulo, e eu dizia que não podia pois não tinha dinheiro para me mudar, nem como me sustentar, que eu precisava estar com um negócio próprio estável, para poder ir ficar com ele de forma prudente.

Mas ele não queria porque ele queria casar antes dos 30, e queria que eu largasse tudo o que eu montei para poder ficar com ele e casar, e que eu que arrumasse um emprego qualquer em São Paulo. Eu fui super compreensiva quando ele foi para o Japão porque era o sonho dele, e ele não foi compreensivo comigo quando eu quis abrir meu negócio próprio, ele não queria esperar. Então desmanchou tudo.

Uma semana depois ele estava com outra garota 10 anos mais nova que ele, disse na minha cara que ela era de outro estado, mas que ia se mudar para São Paulo para fazer faculdade, e ia morar com ele, que essa garota fez muito mais por ele do que eu, que ele tinha nojo de mim porque eu misturava dinheiro com amor, que eu ter procurado me estruturar financeiramente era não ter amado ele de verdade, era misturar dinheiro com amor.

Ele ficou dizendo o quanto esta garota era muito mais madura que eu mesmo sendo bem mais nova que eu, o quanto ela era mais bonita e mais inteligente que eu, tudo melhor que eu. E ele já tinha colocado ‘em um relacionamento sério’ no status do Facebook com essa menina que ele nunca viu pessoalmente, que tem 17 anos e vai se mudar para morar com ele, era isso apenas o que ele queria, alguém para viver com ele. E eu fico com medo dele ferrar a vida dela também.

Agora me sinto um lixo, porque eu fiquei dentro de um relacionamento deste durante três anos, e que nem foi um namoro de verdade, que não foi absolutamente nada, além de sofrimento com alguém completamente egoísta, manipulador, de sangue frio e calculista. E ele foi especialista em me desequilibrar psicologicamente, além de sentir medo dele fazer algo pior do que apertar meu pescoço. Ainda tinha a pressão psicológica de que eu estou errada o tempo todo, de que eu sou sem noção, louca, desequilibrada e por isso eu estou na condição que estou.

Na época, eu já fazia acompanhamento psicológico por depressão e quando eu estava bem, me sentindo bem, ele me fazia me sentir mal por não fazer o que ele queria. Ele já me fez ficar tão nervosa que eu vomitei, ou tive que tomar algum calmante, e isso aconteceram muitas e muitas vezes, imagina você passar por meses com alguém fazendo isso. Enfim foi terrível.

Tags:,

Comentários