Uma história sem fim

Segue abaixo relato anônimo de uma seguidora da página – aviso para descrições de violência e estupro.


Era dia 8 de janeiro, sexta-feira.

Eu tinha 20 anos e como de costume fui pra casa do meu namorado que morava em um bairro bem distante do meu… cerca de 40 minutos até onde eu moro.

Na época eu era muito apaixonada por ele, mas estávamos brigando com frequência. Não demorou nem 10 minutos já começou a discussão… Eram em torno de 20 horas e eu estava exausta, não aguentava mais escutar nada e disse que queria vir embora. Ele disse que se eu quisesse ir, que era pra eu me virar porque ele não me levaria de volta pra casa.

E assim eu fiz… Enviei uma mensagem para a minha mãe dizendo que ia voltar pra casa. Sai da casa dele e fui para o ponto de ônibus. Fiquei lá por volta de 15 minutos até que passou um ônibus que iria me deixar na metade do caminho… Preferi esperar o que ia me deixar praticamente na porta de casa. Já tinham uns 30 minutos e eu ainda estava no ponto de ônibus sozinha.

Até que um carro passou por mim, fez a volta no retorno que era bem próximo ao ponto e aconteceu.

Ele desceu do carro, botou a arma em mim e me mandou entrar. Eu não tive reação, não consegui gritar ou reagir… entrei no carro e ele puxou meu cabelo até que minha cabeça encostasse em seu joelho, deu um soco no meu estômago e esfregou um pano no meu nariz e eu desmaiei. Acordei e ele já estava em cima de mim. Apertei com toda força o peito dele, ao ponto da minha unha quebrar e então desmaiei de novo. E durante toda a noite foi assim, eu acordava e apagava.

Em nenhum momento ele se preocupou em tampar o rosto ou se esconder de mim. Pelo contrário, pedia pra olhar nos olhos dele e dizer que eu merecia aquilo.

Ouvi coisas que nunca mais esquecerei.

Me lembro da sensação do toque dele nos meus ombros, me lembro do cheiro dele quando ele mordia minha boca, me lembro do suor dele escorrendo em mim, me lembro da voz dele dizendo que “valeu a pena, porque você é gostosinha”.  Em todo momento eu perguntava porque ele estava fazendo aquilo. Ele falava que eu merecia, socava minha cabeça e enterrava meu rosto na terra. Ele enfiou madeira em mim, me espancou e me largou lá.

Não sei exatamente quando tempo eu fiquei lá, mas parecia a eternidade.

Fui criando forças para conseguir andar e me arrastar até um lugar movimentado pois estava a quilômetros de distância de onde ele me pegou. Consegui chegar em uma estrada e desmaiei. Acordei dentro do carro de um outro homem desesperada, mas sem forças. Ele pediu pra eu me acalmar e que estava indo me deixar no hospital. Pediu meus documentos e ligou para minha família. Quando eu acordei, só ali eu consegui entender o que tinha acontecido. E só o que passava na minha cabeça é que eu queria que ele tivesse me matado.

Passei por todo procedimento, inclusive a parte de denunciá-lo.

Se passaram semanas e meu namorado, agora ex, me procurou. Disse que não conseguia lidar com aquela situação e que estava com nojo de mim.

Procurei forças em Deus, meu filho, amigos e na minha família.

Hoje, depois de quase 10 meses, ainda não consegui superar. Tenho pesadelo quase todas as noites com isso e todo dia 8 é um dia triste.

Mas estou recomeçando minha vida, um relacionamento, estudos e uma vida feliz e saudável.

Espero que isso sirva de ajuda e que outras meninas consigam buscar força pela minha história.

Tags:

Comentários