27/08/2014 - Por Projetos

Cidades Seguras: ActionAid e a luta contra a violência às mulheres

A campanha Cidades Seguras para as Mulheres, lançada pela ActionAid no início do mês tem o objetivo de chamar atenção para o risco que as mulheres correm nos espaços urbanos, devido à falta de qualidade dos serviços públicos. Além das ações nas redes sociais, por meio de uma petição que recolherá assinaturas em todo o país, a organização quer que os candidatos nas eleições 2014 se comprometam a adotar medidas concretas para melhorar a oferta de iluminação, transporte, educação, moradia e policiamento.

 

Para o lançamento da campanha, a ActionAid realizou uma pesquisa com moradoras de áreas de periferia em Rio, São Paulo, Pernambuco e Rio Grande do Norte que revelou que 73,9% das mulheres já desviaram seus trajetos por conta da escuridão das ruas e que 70,6% já deixaram de sair de casa em determinado horário com receio de sofrer algum tipo de assédio ou violência. No ambiente digital, a campanha tem um site, onde estão textos sobre problemas que as mulheres enfrentam nas ruas das cidades brasileiras, assim como depoimentos em vídeo. E o tumbrl reúne posts de internautas com a hashtag #cidadessegurasporque, em que eles explicam porque acreditam que os gestores públicos devem melhorar a oferta dos serviços públicos, para tornar as cidades mais seguras para as mulheres.

 

lif3



“O assédio e a violência contra a mulher não podem ficar em segredo. Muitas sofrem violência e constrangimentos nos espaços públicos, mas poucas denunciam ou falam sobre isso. A falta de dados dificulta a resposta do poder público, que já é muito limitada. O assédio é naturalizado, o que torna ainda mais difícil combatê-lo. Com a ação no aplicativo Secret, queremos ajudar a dar visibilidade ao problema e a construir cidades nas quais as mulheres se sintam o mais seguras possível”, diz Ana Paula Ferreira, coordenadora do programa de direitos das mulheres, da ActionAid.

a

O canal que está sendo disponibilizado é o 180, Central de Atendimento à Mulher.  As usuárias também são incentivadas a usar a #cidadessegurasporque para compartilhar suas impressões sobre a falta de segurança para as mulheres nos espaços públicos.

Tags:, , ,

Comentários