09/09/2015 - Por Projetos

Marias do Bar

Quem tem costume de ir em bar ou balada (e eu me incluo nesse grupo) já cansou de perceber como a grande maioria das pessoas que te atendem são homens.

As desculpas para isso variam – desde dizer que mulheres são muito frágeis para carregar as caixas de bebida, até dizer que trabalho noturno não combina com mulher (“mulher direita”, minha vó diria). Além disso, muitas mulheres ficam receosas, já que tem medo de trabalhar à noite e sabem que provavelmente sofreriam desrespeito por parte dos clientes.

Por isso o novo projeto, Marias do Bar, pensado e desenvolvido por estagiários da Bacardi, empresa de bebidas alcoólicas, para profissionalizar jovens mulheres de baixa renda da região do ABC Paulista. A ideia é quebrar barreiras e destruir esses estereótipos, de maneira completa – 15 garotas foram selecionadas para o curso de 2 meses, e, além das aulas de coquetelaria, foram introduzidas a assuntos como empreendedorismo, finanças pessoais e empoderamento feminino.

“Pensamos em tudo que seria importante para a formação delas e para serem financeiramente independentes”, conta a diretora global de Recursos Humanos da Bacardi, Raquel Alvarenga, em entrevista para o Brasil Post.

Além das aulas, todas as estudantes ganharam kit completo de coquetelaria, além do material de estudo, como apostilas. É uma oportunidade para meninas que não teriam essa possibilidade, e, para quem esse curso representa uma oportunidade de mudar de emprego e fazer carreira. Em texto no Brasil Post, Eliana Garcia Paiva, de 30 anos, por exemplo, diz: “Eu só tenho o [nível] fundamental e trabalho desde cedo. Ser bartender seria o início de uma carreira.”

Você pode ler outras histórias das participantes e conhecer mais sobre esse projeto aqui. Também pode seguir o instagram do Marias do Bar!

Tags:,

Comentários