27/04/2015 - Por Projetos

Torne Justo

Se é cansativo às vezes assistir a indústria do entretenimento, com a patética falta de personagens femininas com personalidade, imagino que deve ser insuportável trabalhar nessa indústria. E, realmente, nos últimos tempos, temos visto mais e mais mulheres falando das dificuldades que enfrentam.

Foi com isso em mente que um grupo de mais de 70 atrizes se juntaram para criar um video para o projeto “Torne Justo”, Make It Fair, em inglês, que, segundo o seu site, é “um chamado para a igualdade de gênero nas histórias que contamos, nos salários que recebemos, e no futuro que criamos”.

O vídeo ataca a questão da falta de representação feminina pelo outro lado: o ‘o sofrimento’ dos homens que são hiper-representados.

Com caras de sofrimento e uma música dramática no fundo, o vídeo junta humor e números tristes. As mulheres contam como os homens são maioria como diretores e escritores, como não aparecem pelados tanto quanto as mulheres, e como eles tendem a ser os protagonistas dessas histórias, finalmente saindo do mundo do entretenimento e trazendo dados de como eles também são maioria do governo e nas grandes empresas.

Maravilhosamente irônicas, elas cantam: “Nós estamos aqui juntas, e juntas nós vamos derrubar esses muros. Nós não vamos desistir enquanto não for 100%, só é justo que os homens tenham tudo”.

Alguns dos dados que elas trazem são:

– Nos últimos anos, somente 93% dos filmes populares foram dirigidos por homens.

– E só 80% foram escritos por homens.

– Mulheres conseguem ficar peladas duas vezes mais que os homens em filmes.

– Tristemente, somente 70% dos papeis com falas são de homens.

– O Oscar de Melhor Roteiro Original só foi dado a um homem 68 de 76 vezes.

– E de 13 peças escritas para a Broadway no último ano, só 13 foram escritas por homens.

– Homens são só 80% do Congresso.

– 97% de Diretores de Criação em Agências de Propaganda.

– Mulheres são 60% das pessoas que se formam na faculdade, mas homens só ganham 30% a mais que elas.

 

Os dados são americanos, mas a realidade é brasileira também. Embora o projeto ainda esteja buscando maneiras mais concretas de inverter esses números, está trabalhando para que todos que trabalhem nessa indústria falem mais sobre o assunto. Eles escrevem no site deles: “Conforme caminhamos para frente, nós vamos continuar trazendo informações, fazendo as perguntas difíceis, celebrando o talento feminino e conectando artistas com oportunidades, para criar e expandir o tipo de histórias que estamos contando”.

O vídeo original, infelizmente, só tem em inglês, mas segue abaixo para quem quiser ver!

Tags:,

Comentários