09/02/2015 - Por Referências

4 motivos para (re)assistir Gilmore Girls

Quem me conhece, sabe que eu tenho um hobby supremo, que supera todos os meus outros hobbys – assistir, de uma vez só, séries antigas que já tenham acabado. A maioria são séries da minha infância que eu lembro de amar, mesmo sem lembrar a história. Pois bem – numa dessas, eu baixei todas as temporadas de Gilmore Girls, e foi a melhor escolha da minha vida.

Vim dividir aqui com vocês 4 motivos para assitir (ou re-assistir) essa série maravilhosa, que eu garanto, você verá com outros olhos depois de uma vivência feminista!

1) As Gilmore Girls

Sim, a série é sobre muitas coisas e envolve muitos personagens. É sobre relacionamento, família, a cidade maluca de Stars Hollows, trabalho, escola, etc. Mas, acima de tudo, a série é sobre as maravilhosas Gilmore Girls:

– Lorelai, minha eterna ídola, que se recusou a casar com o pai de sua filha (mesmo sua família dizendo que era a coisa “certa”), fugiu de casa e foi trabalhar de empregada em um hotel, do qual se tornou gerente. Ela é diva, engraçada, empreendedora, e incrível mãe, tudo sem perder sua identidade.

– Rory (nome completo: Lorelai, já que sua mãe chegou a maravilhosa conclusão que, se homens podiam dar seus próprios nomes aos seus filhos, porque mulheres não podiam??). Nerd que até dói, tímida, devorada de livros, e ambiciosa.

– E, completando o círculo Gilmore, embora menos presente, Emily Gilmore, a matriarca que basicamente desaprova tudo que a Lorelai faz, é inteligente e tem o poder de destruir qualquer um só com suas palavras.

Honestamente, personagens femininas complexas, cheias de vida, que mudam e crescem, choram e riem, tem dúvidas e certezas. Só a existência dessas lindinhas já é o suficiente pra assistir essa série, mas continuemos para os outros motivos da lista.

2) Nada de ‘Princípio Smurfette’

Tem duas coisas que filmes e programas de TV fazem que me levam a loucura. O primeiro é conhecido como ‘Women in Refrigerators’ e é basicamente matar uma mulher para o desenvolvimento da história de um homem (olhando pra você, Gwen Stacy).

O segundo, igualmente irritante, é o Princípio Smurfette, que é quando você tem um time de pessoas com exatamente uma mulher. De Vingadores aos próprios Smurfs, poucas coisas que me deixam tão frustrada.

Gilmore Girls não tem esse problema nem de longe – a maior parte dos personagens são mulheres, o que leva a uma série de relacionamento complexos e maravilhosos entre nossas protagonistas e outras mulheres.

Pra listar algumas dessas maravilhas: Sookie, a chef do hotel que a Lorelai trabalha, absolutamente desastrada mas ainda assim super competente em seu trabalho; Lane Kim a melhor amiga da Rory, fã de rock e lutando contra uma mãe extremamente católica (e eu, pessoalmente, amava a Mrs.Kim, que é surpreendentemente multi-dimensional para uma personagem sem grandes aparições); Miss Patty e Babette, as fofoqueiras da cidade; Paris Geller, que sou incapaz de descrever em sua perfeição ambiciosa e nada-sentimental, entre tantas outras.

3) Esse discurso.

Primeiro, eu cacei esse discurso em português, mas não encontrei – o melhor que eu achei foi essa versão com legendas em espanhol! Se alguém tiver legendado em portugues, por favor me passe!

Segundo: ok, vocês já entenderão que a Rory e a Lorelai são lindas e maravilhosas, mas vocês não entenderam mesmo até ver esse discurso. Até hoje me emociona em toda a sua perfeição – a importância que a Lorelai sempre deu de cercar a Rory de influências femininas; o relacionamento das duas; o Luke, duro e seco, chorando; e as carinhas de amor dos avós da Rory (momento de silêncio pro ator que faz o Richard, que morreu ano passado T.T).

4) Feminismo

Re-assistindo essa série, o mais notável é perceber como o feminismo perpetua a série de começo ao fim. Seja os livros que a Rory lê (essa lista mostra alguns livros feministas espalhados por aí), a própria ideia de uma mãe solteira criando sua filha, e os diálogos das duas.

“Quem liga se eu sou bonita se eu sou tirar zero nas minhas provas finais?”, Rory pergunta e eu choro. Temos Lorelai iniciando seu próprio negócio, brigando com Rory quando ela dorme com um homem casado (“Não seja uma daquelas garotas que culpa a esposa porque o marido traí”, ela diz e eu choro de novo), pedindo o homem que ela ama em casamento, coroando na Rory *SPOILERS PRO ÚLTIMO EPISÓDIO* dizendo não a um pedido de casamento, porque ela tem muitos sonhos profissionais para realizar.

Não dá pra listar todos, mas é realmente incrível assistir e se emocionar com essas mulheres.

A série é perfeita? Não, claro que não (de cara, acho que dá pra listar um personagem negro realmente importante). Mas até hoje eu não consigo evitar de sorrir de ver a Lorelai e Rory tendo uma de suas conversas a mil-por-hora.

Termino essa lista com um conselho incrível, da maravilhosa Paris Geller.

tumblr_m9c3e0Itow1re9giio1_500

(Eu quero viver minha vida de maneira que eu possa ler no futuro uma biografia detalhada sobre mim sem querer vomitar).

Tags:, ,

Comentários