02/03/2016 - Por Referências

Femvertising: uma esperança para a publicidade

Uma das coisas (entre tantas outras) que estou cansada de ver por aí, são essas propagandas objetificando as mulheres e reforçando vários estereótipos. Sou publicitária, então é um pouco óbvio que esse assunto me interessa muito – adoraria ter poder suficiente para mudar esse cenário, mas enquanto não tenho, vou fazendo a minha parte problematizando essa questão.

Uma pesquisa feita pelo Instituto Patrícia Galvão mostra que no Brasil, 65% das mulheres não se identificam com as propagandas. É só pesquisar “propaganda machista” no Google pra entender o motivo.

Algumas (infelizmente poucas) marcas perceberam essa insatisfação das mulheres com a publicidade e se renovaram através do femvertising, conceito criado para designar as campanhas que levantam a bandeira do empoderamento feminino.

No exterior, temos alguns exemplos desse tipo que viralizaram rapidamente na internet como a Campanha pela Real Beleza, da Dove e #LikeaGirl, da Always.

Eu confesso que amo essas iniciativas, amo ver grandes marcas levando essa pauta para o público e amo que essas campanhas tenham o poder de fazer um número muito grande de pessoas repensarem seus conceitos e desconstruir os estereótipos.

No Brasil esse tipo de propaganda ainda está dando os primeiros passos e o mundo publicitário está até mesmo cometendo alguns erros. A Always por exemplo, que lá fora é tão conhecida pela campanha brilhante #LikeAGirl, por aqui foi infeliz ao fazer um trocadilho entre vazamento de menstruação e vazamento de vídeos íntimos na internet, em uma propaganda com a Sabrina Sato. Acho ótimo a publicidade brasileira também acordar para o femvertising, mas não podemos deixar de lado nosso olhar crítico quando alguns temas são abordados de forma rasa e banal como esse caso.

Mas nem só de maus exemplos é feita a publicidade brasileira – marcas de cosméticos como a Avon, por exemplo, tem feito campanhas brilhantes (brilhantes mesmo, vale muito a pena dar uma olhada) e educativas no que diz respeito ao empoderamento feminino e igualdade de gênero, como a #BelezaQueFazSentido.

Esse ano, a marca lançou mais uma campanha chamada #EuMeSintoConfortável para lançar uma nova linha de batons que são 100% matte, mas são muito confortáveis de passar, não ressecam a boca e fixam super bem (estou falando isso por experiência própria já que tive a oportunidade de testar essa linha que a Avon enviou pra gente <3).

Untitled

(Obrigada, Avon! <3)

Essa campanha foca no conforto de ser você mesma, com liberdade para ser feliz com seu corpo, seus gostos e suas escolhas.

O que eu espero daqui pra frente é que mais marcas brasileiras sigam esse caminho com o mesmo cuidado, informação e interesse da Avon.

Enquanto isso, continuamos de olho nas marcas que fazem questão de reforçar o machismo. Também vamos fazer questão de fazer um estardalhaço criticando suas campanhas.

=)

Tags:

Comentários