21/09/2014 - Por Reflexões

Porque eu acho que você não deve virar lésbica

Ontem me aventurei a ler com calma os comentários de um tópico em um coletivo feminista no Facebook a respeito de mulheres hétero/bissexuais que já usaram a frase

“Eu queria virar lésbica. Não aguento mais homens.”

A frase, até então, sempre tinha sido uma piadinha que eu mesma já havia feito para várias amigas feministas e heterossexuais, mas ontem, resolvi olhar pra ela com outros olhos.

A primeira coisa que me incomodou de cara é o verbo: virar lésbica. Acho que pode soar inocente para quem está confortável na sua heterossexualidade, mas quem faz parte da sigla LGBT já ouviu inúmeras vezes alguma variável de: Quando você virou gay/lésbica?

“Foi um processo muito difícil, primeiro você deve aplicar. Daí você recebe uma carta e você deve decodificá-la para descobrir onde você tem que ir para a sua primeira reunião. Quando você já chegar lá, você deve passar por circuito de obstáculos até você achar a camisinha, como um rato faz pra achar o queijo. Quando você acha, você já é gay e você ganha um óculos de arco-íris e uma carteirinha de membro!” (Traduzido livremente daqui)

Pois é. Se esse texto não deixou claro o processo de ~virar~ homossexual, eu não sei o que vai ser. Mas enfim, piadinhas a parte, o ponto é: Não se vira gay/lésbica/bi em momento nenhum. Você apenas é. (Lembrando que todos temos processos diferentes de auto-descobrimento) E o fato de uma pessoa (normalmente hétero) falar dessa maneira, continua perpetuando esse mito que a homossexualidade é uma escolha tão simples quanto vestir uma roupa.

“Ah, então eu só preciso dizer ~queria ser lésbica~”

Hmmm… Não. E agora entra uma questão um pouco mais complicada. Num país onde a cada 28h acontece um assassinato contra uma pessoa LGBT é difícil acreditar que alguém realmente ache que ser homo/bi/transsexual seja um mar de flores. Minha vida não é mais fácil porque eu me sinto atraída por mulheres, aliás, pelo contrário. Eu não posso beijá-la em público sem me preocupar se os outros estão me encarando, ou se alguém vai me atacar com uma lâmpada. Eu não posso apresentá-la em casa, porque meus pais não aceitam o meu ~estilo de vida~.

E outra, quem foi que disse que namorar mulheres é mais fácil? Mulheres não são objetos inanimados que eu coloco na bolsa, levo pra onde quiser, uso quando eu quiser e quando eu cansar jogo fora. Nós somos seres humanos com sentimentos. Os nossos relacionamentos são tão complexos quanto qualquer outro.

“Mas o que eu deveria fazer então?”

Primeiramente gostaria de lembrar que existem alguns unicórnios homens pró-feminismo no mundo e que nem tudo está perdido para as minhas colegas hetero/bissexuais. Segundo, acho que o importante é problematizar essas pequenas frases e se conscientizar que você está em uma posição de privilégio por ser hétero. Por mais que a sua intenção não tenha sido ofender ninguém, existe essa a banalização dos relacionamentos lésbicos como algo mais fácil. Afinal, gostaria de lembrar: São 2 TPMs por mês. 😉

Ps. Deixarei um gif aqui em homenagem às coleguinhas ht:

Lésbicas:

Eu farei isso tão bem e tão gostoso, que você vai estar quase gozando quando você acordar.

Homens:

EU ESTOU PRESSIONANDO GENTILMENTE! NÃO ESTÁ FUNCIONANDO!!!

(Fonte | Tradução dos gifs aparece ao colocar o mouse em cima)

Tags:, ,

Comentários