filmada

08/12/2015 - Por Equipe NAQ • O que você tem para falar?

Vítima, mais uma vez

Segue relato anônimo de uma seguidora. Aviso para filmagens sem o consentimento da vítima. Hoje eu fui vítima do machismo, de novo… Estava na Crocobeach com a minha mãe e fui fazer massagem numa barraca que meu pai sempre fez e gosta muito. Eu quase nunca vou a praia porque me assusta muito os homens me olhando e me abordando, […]

excessodeamor

24/07/2015 - Por Equipe NAQ • O que você tem para falar?

Eu sobrevivi

Segue relato anônimo de uma seguidora da página. Relato de um relacionamento abusivo e agressões. As brigas ficaram cada vez mais frequentes. Eu já não podia te contar sobre meu dia, porque você me intimidava, me cobrava, coibia. Já não havia mais um amigo ali, mas eu acreditava que era normal, que seu ciúmes e cobrança eram excesso de amor. […]

apagarpassado

23/02/2015 - Por Equipe NAQ • O que você tem para falar?

Uma história

Segue depoimento anônimo de uma das seguidoras da página. Avisos para descrições de um relacionamento abusivo.   Vim contar uma pequena história vivida por mim. Por quatro anos tive um mal relacionamento, começou no colégio, lá sofria bullying e perseguição, achei nele um amigo e uma companhia para afastar quem me fazia mal. No início foi um mar de rosas, […]

meacostumei

03/11/2014 - Por Equipe NAQ • O que você tem para falar?

Olhando para trás

Relato anônimo da seguidora C.G.D.! Hoje cedo me dei conta de que já estive em um relacionamento abusivo. Gostaria de relatar aqui os motivos que me levaram a concluir isso, após, não sei, 1 ano do término (ou mais). Mas para isso terei que contextualizar todo o início do relacionamento, anos atrás, então o texto será longo. Vamos chamar o […]

aindaardo

13/10/2014 - Por Equipe NAQ • O que você tem para falar?

Eu ainda ardo

Relato anônimo de uma seguidora da página. Gente, aviso gigante para descrições explícitas e muito fortes de estupro, abuso e pedofilia. Não recomendamos ler caso seja sensível a esses temas. Minha família finge até hoje – depois de dez anos – que nada aconteceu. Levam sua vida normalmente, dizem que é “assim mesmo”, que coisas assim “acontecem”, que eu “estava […]

misandria_debs

15/09/2014 - Por Equipe NAQ • O que você tem para falar?

MISÂNDRICA, SEM QUERER.

Segue o relato anônimo de uma seguidora da página – aviso para menções de abuso e estupro. Quando eu tinha 12 anos de idade, fui passear pela rua de casa (único lugar que minha mãe me deixava ir sozinha) e parei na lojinha de bijuterias de um conhecido. Eu era moleca, andava de calça comprida e moletom. Nesse dia, porém, […]

OQVTPF1

04/09/2014 - Por Equipe NAQ • O que você tem para falar?

Então, veio o silêncio

TW: abuso e depressão Tenho 17 anos e meus pais são separados. Vez ou outra, minha mãe arranja um namorado e isso nunca me incomodou. Até agora. Eu sou gordinha, mas meu corpo não é feio. Desde os 14 anos (quando meu corpo começou a se desenvolver), eu já atraía a atenção dos homens. Minha mãe começou a namorar meu […]

site21

18/08/2014 - Por Vitória Zeponi • Reflexões

Ele era um problema. E a culpa não é sua.

A gente não tinha nada a ver um com o outro. Ele nunca elogiava minhas conquistas, duvidava de tudo que eu era e fazia. Ele me provocava com outras pessoas, me interrompia quando eu falava, me criticava para meus amigos. Ele não gostava quando eu falava com outros homens e queria minha atenção só pra si. Ele me desrespeitava, me […]

OQVTPF

07/07/2014 - Por Equipe NAQ • O que você tem para falar?

Sem beijo, sem abraço, sem respeito

Relato anônimo de uma das seguidoras da página – aviso para menções de estupro. Eu tinha 16 anos e havia mudado de escola no último ano do colegial, o primeiro grupo que me deu atenção foi um grupo de garotos que sentavam no fundo sala, me enturmei com todos e um em especial me chamou a atenção. Ele fazia desenhos […]

sempermissao

27/05/2014 - Por Debora Nisenbaum • Reflexões

“Infelizmente foi um fato” e outras palavras sobre abuso

Da primeira vez que eu sofri um abuso no transporte público, não me dei conta do que tinha acontecido de verdade. E olha que já tinha passado por isso, aos 13 anos de idade. Um conhecido (de uns 40 anos) tentou me beijar e tocar meu corpo. Eu entrei em pânico, saí correndo do lugar, pensando que minha mãe jamais […]