13/01/2015 - Por Equipe NAQ • O que você tem para falar?

Infâncias perdidas

Segue o relato anônimo de uma seguidora da página. Aviso para menções a pedofilia, abuso sexual, e pensamentos suicidas.   Esta é a história de duas meninas que descobriram da pior maneira que Papai Noel não existe. E nem coelhinho da Páscoa. Muito menos que todas as brincadeiras podem ser inocentes. Por ser meio peculiar para a maioria e, por […]

10/11/2014 - Por Equipe NAQ • O que você tem para falar?

Os pesadelos continuam

Relato anônimo de uma das seguidoras da página – aviso para pedofilia.   Quando fiz seis anos, minha mãe se casou pela segunda vez e acredito que esse foi o início de meus problemas. Claro, eles não vieram imediatamente, mas vieram com o passar dos anos e, principalmente com o falecimento do meu avô quando fiz nove anos. Desde muito […]

13/10/2014 - Por Equipe NAQ • O que você tem para falar?

Eu ainda ardo

Relato anônimo de uma seguidora da página. Gente, aviso gigante para descrições explícitas e muito fortes de estupro, abuso e pedofilia. Não recomendamos ler caso seja sensível a esses temas. Minha família finge até hoje – depois de dez anos – que nada aconteceu. Levam sua vida normalmente, dizem que é “assim mesmo”, que coisas assim “acontecem”, que eu “estava […]

14/09/2014 - Por Isabela Taccolini • Reflexões

Pela extinção da menina-mulher

No início dessa semana, me distraindo com o meu computador, acabei me deparando com um post  no Tumblr, que falava sobre o absurdo de mulheres serem consideradas mais bonitas aos 15 anos do que aos 40. A reclamação vinha acompanhada de uma história, que traduzo livremente aqui: “Quando eu tinha 12 anos, meu professor de saúde nos falou que ele […]

20/06/2014 - Por Equipe NAQ • O que você tem para falar?

Um longo silêncio

Segue relato de uma das seguidoras da página, que pediu para ser anônima. Aviso para estupro e pedofilia! Aconteceu quanto eu tinha 13 anos, com um tio. Sempre tive o corpo muito desenvolvido, desde criança já aparentava mais idade. Com 10 anos já tinha sinais de seios, aos 13 meu nº de sutiã era 38. Eu nunca tinha percebido nenhum […]