25/09/2017 - Por Equipe NAQ • O que você tem para falar?

Isso não é amor

Há quase um ano atrás conheci meu ex-namorado em um curso sobre espiritualidade e desde então nunca paramos de nos ver. Desde o primeiro encontro ele já dava indícios de um comportamento agressivo, ficava bravo comigo do nada e tinha muito ciúmes. Toda vez que saímos na rua ele acreditava que eu estava encarando homem, dando moral, mas o fato […]

21/09/2017 - Por Bia • Reflexões

Reorientação da consciência

O assunto mais recente do momento é a tal da liminar que abre uma brecha para que psicólogos possam oferecer aos pacientes uma terapia de “reorientação sexual” – tratamento este que é proibido pelo Conselho Federal de Psicologia desde 1999. Outrora, a reorientação sexual incluiu tratamentos como a lobotomia e a castração, tratamentos hormonais como estimulantes sexuais e choque farmacológico […]

20/09/2017 - Por Isabela Taccolini • Reflexões

Não se cura o que não é doença

No dia 18, um juiz do DF, movido por ação popular, aprovou liminar que permite o tratamento da homossexualidade como doença por psicólogos, tratamento que o Conselho de Psicologia proibiu em 1999 e a OMS considera inapropriado desde 1990. Isso quer dizer que, mais de 18 anos depois da conquista de um direito básico – não ser submetido a tratamento […]

Mulheres que sofrem violência no campo

11/07/2017 - Por Equipe NAQ • Notícias Projetos

Sozinhas – Violência contra a mulher que vive na área rural

Algumas semanas atrás o jornal Diário Catarinense lançou uma reportagem especial chamada “Sozinhas”, sobre a violência contra a mulher que mora na zona rural de Santa Catarina. A reportagem conta com o webdoc de aproximadamente 7 minutos, com entrevistas de mulheres que vivem no campo e trabalhadoras rurais que viveram uma vida de violência dentro de cada. A reportagem é […]

18/05/2017 - Por Equipe NAQ • O que você tem para falar?

Quando a delegacia não ajuda

Texto enviado por uma das nossas leitoras. Há algumas semanas eu estava indo para a universidade e no caminho entre o ponto de ônibus e a minha casa um cara me abordou. Ele foi muito educado, conversamos um pouco e dei meu número para continuarmos conversando. Assim que eu entrei no ônibus ele me mandou uma mensagem no whatsapp pedindo […]

10/11/2015 - Por Equipe NAQ • O que você tem para falar?

Só uma piada

Segue relato anônimo de seguidora da página. Aviso para relatos de agressão e relacionamentos abusivos.   Ultimamente venho vendo pessoas, na maior parte homens, fazendo piada com agressão contra mulher. E isso me lembra todos os dias o que eu passei, o que eu vi, e o quanto foi banalizado tudo. Eu morei com minha vó desde sempre, convivia pouco […]

16/09/2015 - Por Gabriela Pereira • Projetos

Filha da Índia

Ontem fomos ao lançamento de um documentário chamado India’s Daughter (Filha da Índia), que conta a história de uma estudante de medicina de 23 anos que sofreu um estupro coletivo dentro de um ônibus em Dezembro de 2012 em Deli, na Índia. O estupro foi extremamente brutal, resultando na morte da jovem alguns dias após essa barbaridade. Depois da exibição […]

21/01/2015 - Por Equipe NAQ • O que você tem para falar?

O ex-marido e o policial

Segue relato anônimo de uma das seguidoras da página. Avisos para violência doméstica.   Em uma cidade do interior de São Paulo, no final de 2009, não me lembro bem se em setembro ou outubro, eu tinha acabado de ir morar com meu marido e estava grávida de uns 5 meses. Meu irmão estava morando com meu avô em Santos […]

13/10/2014 - Por Equipe NAQ • O que você tem para falar?

Eu ainda ardo

Relato anônimo de uma seguidora da página. Gente, aviso gigante para descrições explícitas e muito fortes de estupro, abuso e pedofilia. Não recomendamos ler caso seja sensível a esses temas. Minha família finge até hoje – depois de dez anos – que nada aconteceu. Levam sua vida normalmente, dizem que é “assim mesmo”, que coisas assim “acontecem”, que eu “estava […]

25/09/2014 - Por Equipe NAQ • O que você tem para falar?

Primeiro dia de Carnaval

Relato anônimo de uma das seguidoras da página. Aviso para descrições explícitas de estupro e violência. Aos 20 anos, desci com mais 6 amigas, uma inclusive seria minha cunhada, para curtir o primeiro dia de carnaval no Bar do Ponto, perto da padaria. Deveria ser umas 20:30 e 6 rapazes em fila começaram a nos seguir e passar a mão em […]